Sintomas durante a gravidez

Já falei mais de uma vez o quanto paguei a minha lingua, especialmente na questão “gravidez não é doença”. Digo e repito: não é, mas é quase.

Na reta final da gravidez, cada dia é dia de fazer um balanço geral destes últimos meses. E para ficar como um registro – e talvez compartilhar com outras grávidas os sintomas que eu enfrentei – resolvi listar tudo o que eu senti.

Sei que não é a regra, muito menos unanimidade, valendo ressaltar ainda que cada mulher vive uma gestação muito particular… mas podemos ter algo em comum. Então, aí vai:

Enjôos e vômitos: nadinha, nunca. Nem no começo, nem agora no final. Passei simplesmente incólume. Ufa!

Ganho de peso: já engravidei com sobrepeso, então logo no começo procurei a orientação de uma nutricionista. Ela fez alguns ajustes na minha alimentação, principalmente nas porções de leite e frutas, assim como na restrição de alguns alimentos. Nos primeiros meses segui certinho mas depois esculhambei. Mesmo assim, ganhei pouco peso – até a 3ª semana foram 9 kilos. Não fiz grandes sacrificios e tem valido a pena. Se está difícil e eu estou me sentindo pesada agora no final, imagino se tivesse ganho peso demasiadamente!

Pressão alta: detectamos um aumento da pressão logo no começo da gestação e já entramos com medicamento. Agora no final tivemos que aumentar a dose e a pressão está estabilizada. Não tive nenhum sintoma – mas um dos efeitos “colaterais” do remédio e combater a cefaléia. Eu, que sou a rainha da dor de cabeça, nem lembro mais o que é isso. Não é maravilhoso?

Cãimbras: sofri algumas semanas consecutivas com as cãimbras nas panturrilhas, pernas e pés. De acordo com a sabedoria popular, comer banana ajuda nas cãimbras (por causa do potássio). Como fruta não faz mal mesmo, comia uma por dia. Depois de algum tempo, foram se espaçando até sumirem.

Dores no assoalho pélvico: descobri lá pelo 5º mês que eu tinha um. Sentia muitas dores na região da virilha e na bacia – Dra. me ensinou depois que eram no tal do assoalho pélvico, por conta do peso dos bebês. Pois é, eles já pesavam desde então… É uma dorzinha incômoda que me acompanha até hoje, principalmente quando passo um tempo sentada e depois levanto, ou quando ando muito. Aprendi a conviver com esta dorzinha. Uma cinta para gestante me ajudou muito, quando era preciso que eu caminhasse mais do que o normal (para ficar sentada não me serviu, era incômoda demais e me apertava).

Falta de ar e ronco: ah, os problemas respiratórios! Sempre tive rinite e durante as crises roncava durante o sono. Com a gravidez e a “super pança” piorou tudo, claro. Marido se desesperou com o ronco e eu fui procurar uma otorrino para salvar o casamento </exagero>… Nada adiantou. Fiz inalações com soro, espirrei remédio, lavei o nariz, dormi quase sentada e NADA. Os roncos continuaram, assim como a falta de ar. Não tem muita coisa a fazer a não ser conviver com o problema – e rezar para passar com o nascimento dos babies.

Azia e refluxo: quanto mais a barriga crescia, piorava os sintomas de azia e – principalmente – o refluxo. Mesmo tentando corrigir com a alimentação e ajustando os horários da última refeição, não funcionou e tive que recorrer à medicação (consulte seu médico, hum?). Perdi algumas noites de sono com o refluxo, e mesmo tomando o remédio direitinho, ainda tenho que dormir com uma almofada sob o travesseiro.

Coceiras: pelo corpo todo, não só na barriga. Muito, muito incômodo. Falei com a minha médica, que disse ser comum entre as grávidas. Tomei um antialérgico por uma semana e melhorou muito – mas não passou 100%. Aconteceu só agora, na reta final.

Inchaço: comecei a inchar bem cedo, com uns 4 meses de gestação. Como ainda era inverno, usei um tempinho as meias de compressão (horrorosaaaaaaas, mas necessárias). A gestação foi avançando, o calor chegou e as meias se tornaram inviáveis. E o inchaço foi piorando. Depois da 26ª / 28ª semanas, meus pés e tornozelos ficaram irreconhecíveis – apesar das sessões semanais de drenagem linfática. Muitas vezes senti dores nas juntas, principalmente nos dedos das mãos, durante a noite. Depois da 30ª semana a médica me afastou e nos últimos 15 dias perdi 1 kilo (segundo ela, só de inchaço e líquido que estava retido). Realmente o repouso só tem me feito bem e estou me sentindo ótima. Até consigo ver os dedinhos do pé e seus ossinhos!

Pele, cabelo, unhas: também teve o lado bom da coisa. Não tive uma manchinha sequer no rosto, minha pele ficou ótima e super macia, meus cabelos chegaram a cair um pouco no começo mas agora estão brilhantes, minhas unhas estão fortes e crecem loucamente… Quando perguntam como estou, costumo brincar “Estou pançuda, chorona e desastrada, mas a pele tá ótimaaaaaaaaa”. E é verdade!

Desejos: se você tiver coragem, abuse do seu marido. Eu não tive. Senti vontades normais de comer as coisas que eu adoro – talvez a única exceção foi o exagero do sorvete de massa. Mas necas de desejos estrambólicos no meio da noite. No fim, os desejos recorrentes têm sido mesmo a vontade de comer meio kilo de sashimi de salmão com uma Skol estupidamente gelada.

Cansaço: além da velocidade de tartaruga mode on e da atrapalhação geral, falta de atençao e dificuldade de concentração, veio o cansaço. Lembro de um dia que fui a pé na farmácia e me deu vontade de chorar e ligar para alguém ir me buscar… tem dias piores, tem dias normais. Tudo oscila, assim como o nosso humor.

Deve ter mais alguma coisa que eu não estou me lembrando… Tem também todo o lado emocional e psicológico – as confusões, os sentimentos à flor da pele, o choro gratuito, as dúvidas e um amor que vai crescendo tod ida. Talvez vire um novo post… se a preguicinha da 33ª deixar!

Anúncios

4 comentários sobre “Sintomas durante a gravidez

  1. Fernanda Accorsi disse:

    Sabe que eu também não sabia que tinha um “assoalho pélvico”? rs. É, sabe que com suas palavras doces até parece que não é tão dificil?! Adorei o artigo, muito sincero e bem escrito, como sempre!

    • fvaleck disse:

      Dirce, facil facil não é, mas cada minuto tem sido recompensado até agora. Imagino, entao, quando eles chegarem! Acho que é por tudo isso que “o amor é cego”! Saudades!!! Besitos!!!

  2. mariana disse:

    adorei, fiquei muito feliz em saber que vc conseguiu controlar a sua pressão só com os medicamentos, porque a minha pressao começou a subir agora com 10 semanas, e eu estava com muito medo, mas agora acho que tambem vou conseguir controlar só com medicamentos ate o final
    bjusssssss e tudo de bom

  3. Kelly (amiga da Lu e da FABI) disse:

    Eu aqui na minha 25 semana de gestação vejo que não estou sozinha no mundo e a maioria das gestantes claro que passam pelo que estou passando, vire e mexe entro aqui para ler o que vc passava na semana que estou passando é muito legal essa troca..hehe
    beijos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s